Blog do Barcinski

Categorias

Histórico

Começa a festa dos documentários musicais

André Barcinski

14/06/2017 05h59


Começa hoje e vai até o dia 25 em São Paulo a 9ª edição do In-Edit Brasil, excelente festival de documentários musicais (veja programação completa aqui).

Este ano o evento traz 59 filmes espalhados por 23 salas da cidade (CineSesc, Olido, Centro Cultural São Paulo, MIS, Cinemateca e Matilha, além de 17 do circuito Spcine). Tem muita coisa boa.

O In-Edit é imperdível porque muitos dos filmes exibidos nunca vão chegar ao circuito comercial por aqui.

Gosto muito de documentários musicais e tento acompanhar os lançamentos internacionais, mas não conheço a grande maioria dos filmes. Dos dez títulos da mostra “Panorama Mundial”, por exemplo, só vi dois: “Gimme Danger”, bom filme de Jim Jarmusch sobre Iggy Pop & the Stooges, e o sensacional “One More Time With Feeling”, de Andrew Dominik, que acompanha as gravações do mais recente disco de Nick Cave & the Bad Seeds, “Skeleton Tree”, marcado pela tragédia da morte do filho de Cave.

Aqui vai uma lista de alguns filmes antigos que recomendo e filmes novos que me chamaram a atenção:

“Chasing Trane: The John Coltrane Documentary”, de John Scheinfield (diretor do ótimo “Os EUA vs. John Lennon” traz fotos e vídeos de arquivo de família e o ator Denzel Washington interpretando a voz do saxofonista John Coltrane.

“Whitney – Can I Be Me”, de Nick Broomfield e Rudi Dolezal. Broomfield é um documentarista inglês que dirigiu o polêmico “Kurt & Courtney” e adora histórias de celebridades em crise. E poucas viveram crises como Whitney Houston. Deve ser imperdível.

“Liberation Day”, de Ugis Olte e, Morten Traavik, mostra a turnê da banda industrial eslovena Laibach pela Coreia do Norte.

“Raving Iran”, de Sue Meures, traça um perfil da cena clandestina de música eletrônica no Irã.

“I am Thor”, de Ryan Wise, conta a história de Jon Mikl Thor, um fisiculturista, ator e cantor que se dizia “Guerreiro do Rock” e fazia shows em que entortava barras de ferro enquanto cantava rocks pesados e terríveis. Esse eu não perco de jeito nenhum.

DON LETTS E O PUNK

Um dos convidados internacionais do In-Edit é o músico, DJ, autor e cineasta britânico Don Letts, uma das principais figuras do punk inglês e responsável por apresentar o reggae e ritmos jamaicanos em geral a seus amigos do The Clash.

Festa punk: John Lydon, Joe Strummer, Don Letts e Paul Simonon

Letts participa da mostra “40 anos de Punk” e faz debates com o público nos dias 15, 16 e 17, em conjunto com a exibição de seus filmes “Punk Attitude” e o novo “Two Sevens Clash (Dread Meets Punk Rockers)”, que fala justamente da influência do reggae e ska no punk britânico.

Letts se despedirá do festival com um DJ set na área externa da Cinemateca, no sábado, dia 17. Chance única de conferir os ritmos que, em 1976, fizeram a cabeça de Joe Strummer e Mick Jones.
Outros filmes de destaque na mostra sobre o punk são:

“Hated: GG Allin & the Murder Junkies”, de Todd Phillips, sobre G.G. Allin (1956-1993), o performer mais tosco, nojento e insano do punk.

“The Decline Of Western Civilization”, de Penelope Spheeris, grande filme sobre a cena punk de Los Angeles na virada dos anos 1970.

“Botinada! A origem do Punk no Brasil”, de Gastão Moreira, excelente retrato do movimento punk brasileiro.

DOCUMENTÁRIOS BRASILEIROS

Além da tradicional competição de filmes nacionais, o festival traz uma seleção de documentários sobre a Tropicália (destaque para o lindo “Lóki”, de Paulo Henrique Fontenelle, sobre Arnaldo Baptista) e de curtas-metragens. Os temas são dos mais ecléticos: do roqueiro Serguei ao pianista Benjamin Taubkin, do grupo Os Cariocas à cantora Clemilda, a rainha do forró. Tem pra todos os gostos.

Um ótimo feriado a todos. O blog volta segunda, dia 19.

Sobre o Autor

André Barcinski é jornalista, roteirista e diretor de TV. É crítico de cinema e música da “Folha de S. Paulo”. Escreveu seis livros, incluindo “Barulho” (1992), vencedor do prêmio Jabuti de melhor reportagem. Roteirizou a série de TV “Zé do Caixão” (2015), do canal Space, e dirigiu o documentário “Maldito” (2001), sobre o cineasta José Mojica Marins, vencedor do Prêmio do Júri do Festival de Sundance (EUA). Atualmente dirige os programas “Eletrogordo” e “Nasi Noite Adentro”, do Canal Brasil.

Sobre o Blog

Música, cinema, livros, TV, e tudo que compõe o universo da cultura pop estará no blog, atualizado às segundas, quartas e sextas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Topo