Blog do Barcinski

Categorias

Histórico

Cadê o choque do "Choque de Cultura"?

André Barcinski

25/04/2018 05h59


Gosto bastante do “Choque de Cultura” e seu humor tosco e escrachado, filho do “Casseta e Planeta” e sobrinho do “Hermes e Renato”. Um dos integrantes da trupe, Caito Mainier, dirigiu um programa de TV que eu adorava, o “Larica Total”.

Esses dias, no entanto, Mainier pisou na bola.

Tudo começou quando ele, que faz o personagem Rogerinho do Ingá, publicou no Twitter uma frase absolutamente lógica e inquestionável:

“Outra coisa boa também seria parar de ficar reduzindo as pessoas às suas correntes. Ah, você é de direita, então é um merda. Você é de esquerda, então é um merda. Você é de centro, então é uma merda dupla. Porra, a gente é muito maior que qualquer corrente!”

Claro que sua conta de Twitter foi imediatamente invadida por uma manada de asnos dos mais variados espectros ideológicos, que patrulharam Mainier por defender a empatia por pessoas com pensamentos políticos diferentes.

Esses patrulheiros formam uma turma burra e autoritária, que cultua o monólogo, se acha moralmente superior, e tem horror a argumentos.

Achei que Rogerinho do Ingá faria o feijão com arroz: mandaria os patrulheiros encontrarem as respectivas progenitoras no prostíbulo, e fim de papo. Mas não foi o que aconteceu: depois de uns quatro tuítes tentando se explicar, Mainier/Rogerinho capitulou:

“Aos q decepcionei fora do personagem, perdão. Mas ainda estou aqui. Aberto ao diálogo e com mais vontade ainda de criar e produzir. Beijo grande.”

“Perdão a quem decepcionei”? Como assim? Decepcionar essa turma deveria ser OBRIGAÇÃO de todo humorista.

É fato que existem humoristas que não decepcionam ninguém, e cito dois: Gregório Duvivier e Danilo Gentili. E não decepcionam porque falam sempre as mesmas coisas para as mesmas pessoas.

Lembrei também um caso de humorista que pediu desculpas por algo que falou: Eddie Murphy. No início dos anos 80, Murphy fez um show de “stand up” em que contava piadas sobre AIDS. Quinze anos depois, ele havia perdido vários amigos e colegas para a doença, e veio a público se desculpar: “O que eu disse representava a visão torta de um cara de 20 anos, não do adulto de 36 que sou hoje”.

O caso de Mainier é bem diferente: ele não se arrepende do que disse – até porque o que disse é irrefutável – mas se penitencia por ter decepcionado quem não gostou.

Talvez ele não perceba, mas ao capitular para os patrulheiros, Mainier joga contra a própria profissão. Ele é um comunicador, um profissional que vive da livre circulação de ideias, e não deveria aceitar que suas opiniões fossem cerceadas dessa forma.

Fiquei decepcionado com a atitude dele, mas não sou patrulheiro e acho que ele tem o direito de agir da maneira que quiser. Isso não muda em nada a admiração profissional que tenho pelo sujeito (que não conheço pessoalmente).

Agora, se continuar nessa onda de bom mocismo e paz e amor, sugiro mudar logo o nome do programa. Que tal “Choque de Fofura”?

Sobre o Autor

André Barcinski é jornalista, roteirista e diretor de TV. É crítico de cinema e música da “Folha de S. Paulo”. Escreveu seis livros, incluindo “Barulho” (1992), vencedor do prêmio Jabuti de melhor reportagem. Roteirizou a série de TV “Zé do Caixão” (2015), do canal Space, e dirigiu o documentário “Maldito” (2001), sobre o cineasta José Mojica Marins, vencedor do Prêmio do Júri do Festival de Sundance (EUA). Atualmente dirige os programas “Eletrogordo” e “Nasi Noite Adentro”, do Canal Brasil.

Sobre o Blog

Música, cinema, livros, TV, e tudo que compõe o universo da cultura pop estará no blog, atualizado às segundas, quartas e sextas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Topo