Blog do Barcinski

Categorias

Histórico

Aventuras no interior do cérebro

André Barcinski

3
Um dos livros mais emocionantes e cheios de suspense que li em 2016 se passa quase inteiramente em salas de cirurgia e com o personagem principal desacordado. É “Sem causar mal – histórias de vida, morte e neurocirurgia”, de Henry Marsh (Editora nVersos).

Marsh tem 66 anos e é um dos neurocirurgiões mais conhecidos da Inglaterra. No livro ele relata mais de 20 cirurgias que realizou ao longo das últimas três décadas. Cada capítulo leva o nome de um tipo de um tipo de lesão, doença ou tumor tratado na operação (“Pineocitoma”, “Glioblastoma”, “Mutismo acinético”).

O estilo literário de Marsh é seco e direto, sem um pingo de sentimentalismo. Ele descreve os procedimentos com uma linguagem simples e acessível a leigos, e fala, sem rodeios, da relação muitas vezes dolorosa entre médico e paciente. Quando um paciente tem grande chance de morrer durante a cirurgia, Marsh diz isso claramente: “Se operarmos, você tem 30% de chance de sobreviver; se não operarmos, você morrerá em poucas semanas”.

downloadAlguns casos são incríveis: uma grávida descobre que tem um tumor atrás do globo ocular e precisa operar com urgência, ou ficará cega. A solução é realizar duas cirurgias na sequência: primeiro, Marsh e sua equipe retiram o tumor, depois entra a equipe de obstetrícia e faz a cesariana. Outro paciente é submetido a uma delicada neurocirurgia acordado, para que Marsh possa perceber se a operação está afetando o cérebro.

Além da descrição das operações e histórias dos pacientes, Marsh também fala bastante sobre as inovações tecnológicas que vêm tornando a neurocirurgia cada vez mais segura. Por outro lado, esculhamba a burocracia estatal inglesa, que, segundo ele, vem tornando mais difícil a vida dos cirurgiões e de seus pacientes.

Um dos trechos mais interessantes do livro relata viagens que Marsh fez à Ucrânia, nos anos 80, para visitar um centro médico e ensinar técnicas aos neurocirurgiões locais. A descrição das péssimas condições de trabalho dos profissionais ucranianos e as consequências trágicas na vida dos pacientes são impressionantes.

Livros sobre procedimentos médicos costumam ser cheios de lições de moral e histórias “edificantes”, mas o mundo de Henry Marsh não tem anjos, milagres ou fábulas de redenção. Quando ele comete um erro bobo durante uma cirurgia, o sangue escorre “como uma cachoeira” e o paciente passa o resto da vida em estado vegetativo. Marsh se penitencia, mas não por muito tempo. Ele sabe que logo precisará voltar à sala de cirurgia para tirar um tumor da cabeça de outro paciente.

Sobre o Autor

André Barcinski é jornalista, roteirista e diretor de TV. É crítico de cinema e música da “Folha de S. Paulo”. Escreveu seis livros, incluindo “Barulho” (1992), vencedor do prêmio Jabuti de melhor reportagem. Roteirizou a série de TV “Zé do Caixão” (2015), do canal Space, e dirigiu o documentário “Maldito” (2001), sobre o cineasta José Mojica Marins, vencedor do Prêmio do Júri do Festival de Sundance (EUA). Atualmente dirige os programas “Eletrogordo” e “Nasi Noite Adentro”, do Canal Brasil.

Sobre o Blog

Música, cinema, livros, TV, e tudo que compõe o universo da cultura pop estará no blog, atualizado às segundas, quartas e sextas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Blog do Barcinski
Topo